top of page

Introdução alimentar: como começar com segurança

Atualizado: 11 de ago. de 2023


A introdução alimentar é um momento emocionante para os pais e os bebês. É quando o bebê começa a experimentar novos alimentos e texturas, e a aprender a comer sozinho. É importante começar a introdução alimentar na hora certa, e com os alimentos corretos, para garantir a saúde e segurança do bebê.


bebe sentado na cadeira de alimentação comendo melancia com as maos no método blw

Que os bebês são profundamente intuitivos e espertos isso a gente já sabe. Eles estão tão sintonizados conosco que seus corações podem sincronizar com o nosso quando entramos na sala, e estudos mostram que eles possuem uma compreensão intuitiva da física e podem dizer o quanto queremos as coisas com base no esforço que fazemos para obtê-las.


Não é tão surpreendente, então, que eles também sejam muito inteligentes em saber quando é hora de começar a comer... e tudo o que temos que fazer é ficar atentos aos sinais.



Por que esperar até 6 meses para introduzir alimentos?

Quando possível, a A Organização Mundial da Saúde (OMS) recomenda que os bebês sejam alimentados exclusivamente com leite materno até os 6 meses de idade. E que, mesmo após a introdução dos primeiros alimentos sólidos, sigam sendo amamentados até, pelo menos, os 2 anos de idade.


Isso porque os bebês nascem com sistemas digestivos muito imaturos. Enquanto o trato gastrointestinal ainda está amadurecendo, os sistemas digestivos do bebê não estão equipados para digerir nada além do leite materno. Se qualquer coisa além do leite materno for introduzida, mesmo a fórmula, pode alterar permanentemente a microbiota intestinal do bebê, causando problemas como enterocolite necrosante, doença diarreica aguda e alergias.

"Em bebês, o anel do músculo entre o esôfago e o estômago - o esfíncter esofágico inferior (EEI) - não está totalmente maduro, permitindo que o conteúdo do estômago flua para trás", diz Andrew E. Mulberg , MD, pediatra e gastroenterologista pediátrico. “Com o tempo, o EEI amadurecerá e abrirá apenas quando o bebê engolir e permanecerá bem fechado o resto do tempo, mantendo o conteúdo do estômago onde ele pertence”

Nota: Se a amamentação não funcionar para você, tudo bem. Existem muitas fórmulas saudáveis ​​e muitos bebês que prosperam com a fórmula. Considere adicionar probióticos à fórmula do bebê para ajudar na função imunológica e intestinal e espere até o 6° mês e os sinais de prontidão para começar a introdução alimentar.


Quais são os Sinais de Prontidão?

Em termos de sinais de desenvolvimento, o bebê pode estar pronto para você começar a introduzir alimentos quando o bebê:

  • Sabe engolir (quando o bebê para de babar excessivamente indica que ele aprendeu a engolir a saliva)

  • Perdeu o reflexo de protrusão da língua (não empurra automaticamente os alimentos para fora da boca com a língua)

  • Tem bom controle da cabeça (sem balançar o tronco ou balançar a cabeça)

  • Está disposto e é capaz de mastigar (mesmo que ainda não tenha dentes)

  • Está desenvolvendo uma preensão em pinça (pega comida ou outros objetos entre o polegar e o indicador)

  • Está interessado em comida e está ansioso para participar da hora das refeições (pode observar atentamente os outros comendo, inclinar-se sobre a comida ou tentar pegar comida do seu prato)

5 dicas para introduzir alimentos aos bebês

Quando seu filho começar a mostrar interesse por comida, aqui estão algumas dicas para ajudar a prepará-las com sucesso:


1. Crie um ambiente confortável

Deixe seu bebê experimentar diferentes arranjos de refeições. Alguns gostam de sentar em sua própria cadeira de alimentação, enquanto outros podem se sentir mais confortáveis ​​começando no colo de alguém.

O importante é o bebê se sentir seguro e confortável nesta nova etapa. Para eles é uma novidade e um aprendizado, pode acontecer da comida ir parar no cabelo ou no chão. Portanto, mantenha seu senso de humor à mão e prepare-se para que as coisas fiquem confusas às vezes. Uma toalha de mesa de plástico ou uma cortina de chuveiro embaixo da mesa pode facilitar um pouco a limpeza.


2. Comece aos poucos

Introduza um alimento de cada vez e observe os sinais de uma possível sensibilidade alimentar ou reação alérgica, como erupção cutânea, corrimento nasal, diarreia ou assaduras. A maioria dos pediatras recomenda esperar de 3 a 5 dias entre novos alimentos para poder identificar a causa.


3. Fique atento aos riscos de engasgos

Todos os métodos são passíveis de engasgos, inclusive os líquidos. Saber diferenciar engasgos e Gags (reflexo de engasgo) é muito importante para evitar medos desnecessários.. Para diminuir os riscos de engasgos espere todos os sinais e prontidão, e treine fazer a manobra de desengasgo caso precise:


manobra de Heimlich, manobra de desengasgo
manobra de desengasgo de Heimlich

Em bebês: “Teoricamente, a manobra é simples de ser feita, porém, precisa ser de forma imediata, porque é determinante para a salvar a vida”, explica o 1º-tenente do 14º Grupamento de Bombeiros, em Presidente Prudente, Evandro Avanço Silva. “No caso da criança, é preciso apoiá-la no antebraço, com a cabeça um pouco mais abaixo em relação ao corpo. Essa posição já ajuda no desengasgar e evita uma broncoaspiração, caso ela venha a vomitar com as manobras”, orienta.

Na sequência: “dar cinco tapinhas com a força moderada, na região das costas, entre as escápulas; virar a criança de frente; fazer cinco compressões entre os mamilos com dois dedos, e observar se voltou a respirar ou se está chorando. Qualquer pessoa consegue fazer, mas é certo que os casos que envolvem pai e mãe o fator emocional conta, muito, então, se a pessoa não lembrar desse procedimento, ou mesmo lembrando, é importante a outra ligar para o 193, porque o atendente vai ter capacidade de passar os procedimentos corretos dessa manobra”, explica Avanço.


Resumindo:

  • 1° - Apoiar no antebraço, com a cabeça um pouco mais abaixo em relação ao corpo;

  • 2° - dar cinco tapinhas com a força moderada ente as escápulas

  • 3 ° - virar a criança de frente; fazer cinco compressões no esterno (osso que divide o peito ao meio, entre os mamilos) com dois dedos.

PS.: Este vídeo explica de maneira prática como fazer a manobra de desengasgo em bebês até 1 ano.


Em crianças e adultos: Posicione-se por trás e enlace a vítima com os braços ao redor do abdome (se for uma criança, ajoelhe-se primeiro), caso ela esteja consciente. Uma das mãos permanece fechada sobre a chamada “boca do estômago” (região epigástrica). A outra mão comprime a primeira, ao mesmo tempo em que empurra a “boca do estômago” para dentro e para cima, como se quisesse levantar a vítima do chão. Faça movimentos de compressão para dentro e para cima (como uma letra “J”), até que a vítima elimine o corpo estranho.


PS.: Gostei tanto do vídeo explicando de como fazer a manobra em bebês que pedi para a equipe do @crechesegura uma explicação de desengasgo para crianças maiores de 1 ano, e a Letícia deu uma excelente explicação, inclusive de auto desengasgo. Você pode conferir neste link.


4. Deixe o bebê conhecer o alimento

Tudo é uma novidade para os bebês e não é diferente com os alimentos. Mesmo que você escolha o método de papinhas, deixar o bebe conhecer os alimentos beneficia ele e várias maneiras. Pegar, amassar, levar até a boca, sentir os aromas funciona como uma as atividade sensorial e de coordenação motora que ativam os neurônios do bebê.


5. Mantenha divertido e interessante

Lembre-se de que, ao começar, a comida é apenas para adaptação e diversão. Pense nelas como um alimento complementar ao leite materno ou à fórmula, que são a principal fonte de nutrição do bebê durante o primeiro ano. Basta oferecer uma variedade de alimentos para permitir que o bebê experimente diferentes sabores, texturas e cheiros.



Quantidade x Qualidade

Quando o bebê estiver pronto para começar os sólidos, vá devagar. Só porque ele está pronto para começar a introduzir sólidos não significa que ele vá comer um montão. Os bebês tem capacidade de saber quando estão com fome ou satisfeitos, isso porque nascem com autorregulação energética, além disso o que é pouco para você, pode não ser pra ele!

Quando você força seu bebê a comer a mais, você atrapalha esse mecanismo, e ao invés do seu filho comer para estar satisfeito, ele passa a comer para que você esteja satisfeita.

Como nessa fase o estômago do bebe ainda é muito pequeno, foque em oferecer a ele alimentos ricos em nutrientes e não se preocupe com a quantidade. Essa fase é para ele aprender a comer e não para encher a barriga. O leite materno (ou fórmula) continua sendo o principal alimento ao bebê


A OMS recomenda que, além do leite materno, o bebê coma:

  • sólidos 2-3 vezes ao dia entre 6-8 meses,

  • 3-4 vezes ao dia entre 9-11 meses,

  • 3-4 vezes ao dia com um lanche adicional 1-2 vezes ao dia entre 12-24 meses.

Nota: isso é apenas uma recomendação e não quer dizer que seu bebê vá segui-la.



Então, quais são os melhores primeiros alimentos?

Agora que você tem uma noção melhor de quando começar, provavelmente está se perguntando quais são os melhores primeiros alimentos e como apresentá-los. Deve ser purê de batata-doce ou cereal de arroz para bebês… ou talvez com alimentos em pedaços, no método BLW, para que ele possa comer com suas próprias mãos? E sobre alergias alimentares, quais cuidados devemos ter? Devemos evitá-los?

Há muito o que falar e falaremos sobre isso no próximo post!


Comentários


bottom of page