top of page

Os 6 melhores alimentos para começar a introdução alimentar

Atualizado: 11 de ago. de 2023

Seu bebê está pronto para comer!

Você está se perguntando se deve começar a dar papinha ou BLW para o seu bebê? Aqui estão os melhores alimentos para começar a oferecer ao seu bebê e alimentos que você deve evitar.



bebe careca de olhos azuis sentado no cadeirão comendo alimentos em pedaços blw bliss

Os bebês nascem com o estômago extremamente pequeno, feito apenas para receber leite materno (ou fórmula) que é composto por água, nutrientes e enzimas, substancias essas que auxiliam na digestão, e por volta do 6° mês começam a dar sinais que estão prontos para receber outros alimentos. Mas, quais são os melhores alimentos para começar a introdução alimentar? Que são ricos em nutrientes e enzimas, que se assemelham ao leite materno, igualmente fáceis de digerir?


Outro questionamento que surge atualmente nas mães no mundo todo é: Iniciar a introdução alimentar com papinhas, purês, BLW ou Bliss?


Calma, vamos dar uma olhada no que exatamente cada uma dessas abordagens envolvem.



Papinhas e Purês

As papinhas geralmente são feitas com apenas um ingrediente, ou uma combinação de alguns ingredientes. As papinhas podem ser feitas facilmente em casa, com uma pequena quantidade de água e alimentos cozidos como frutas, vegetais e até mesmo carnes, batidos no liquidificador para facilitar a digestão.


Os purês normalmente são feitos com batatas, abóboras ou cenouras, simplesmente amassando-as com um garfo ou com o auxílio de espremedor de batatas. Dessa forma, geralmente não se adiciona líquidos, mas pode-se adicionar temperos picados como cebolinha ou orégano.


Nessas duas abordagens é comum um dos pais ou o cuidador alimentar o bebê com uma colher, prestando atenção aos sinais que o bebê indica de saciedade ou se continua com fome.



tres tigelas brancas dispostas em tabua de madeira branca com pure de cenoura e cenoura em pedaos, pure de brocois e brocolis em pedaços e pure de maça e maa em pedaços blw


BLW e BLISS

No extremo oposto estão os métodos BLW e BLISS. O BLW é uma abordagem que envolve oferecer ao bebê uma variedade de alimentos integrais preparados semelhantes ao que o resto da família está comendo. As frutas são oferecidas maduras e cruas (as frutas duras como maçã e pera devem ser cozidas), enquanto os outros alimentos são cozidos, mas todos são cortados em pedaços fáceis para o bebe agarrar ou picados para pegar com os dedos e estimular o movimento de pinça.


Assim como no BLW, o BLISS proporciona ao bebê explorar os alimentos em pedaços com as mãos, tocar, levar à boca e ingerir a quantidade que desejar, os pais também oferecem purês dando autonomia para bebê usar sua própria colher. Outra recomendação do BLISS é incluir nas grandes refeições alimentos ricos em ferro como carnes, vegetais verdes escuros e leguminosas, alimentos energéticos como abacate, banana, abóbora, raízes, azeite, óleo de coco... Além disso, incentiva técnicas para melhorar a absorção como:


  • Deixar os grãos integrais de molho em água com limão por 12 horas, descartando a água antes de cozinhar;

  • Aumentar a ingestão de alimentos ricos em ferro

  • Oferecer uma fruta rica em vitamina C junto com as grandes refeições: laranja, tangerina, morango, abacaxi, kiwi, carambola, pêssego, etc.

  • Ofereça uma variedade de alimentos, repetindo diversas vezes os alimentos inicialmente recusados.

  • Dispor apenas um pedaço de cada por vez.


Ao contrário da introdução alimentar com papinhas e purês, no BLW e no BLISS quem determina a quantidade e ritmo é o bebê, o que permite que ele pratique a autonomia e coordenação motora geral. Os pais, ou cuidadores, são responsáveis apenas pela qualidade dos alimentos, pela supervisão durante a refeição, e é claro, pela bagunça pós refeição.


Mas antes de nos aprofundarmos nos melhores alimentos, vamos analisar como algumas culturas tradicionais abordaram a introdução alimentar.



Culturas tradicionais no começo da Introdução Alimentar


Em algumas culturas de abordagem híbridas, usam-se uma técnica chamada pré-mastigação, onde a mãe apenas mastiga um pouco da sua própria comida e alimenta o bebê (parece nojento, mas realmente o microbioma oral da mãe juntamente com a saliva ajudam na digestão).

Simplesmente o bebê recebe a mesma comida que o resto da família, mas de uma forma que é um pouco mais fácil para o bebê mastigar e digerir. Além disso, a técnica de pre-mastigação pode oferecer alguns benefícios exclusivos para o sistema imunológico .


Já em alguns países, os bebês recebem primeiramente alimentos sem amido. E realmente, algumas mães mais experientes dizem que alimentos ricos em amido podem causar constipação.


E embora seja verdade que nossas bisavós não tinham liquidificadores, elas ofereciam aos seus bebês caldinhos de frutas, caldo de feijão, caldo de sopa de vegetais com carne, maçã raspada... Na minha família, por exemplo, meus antecedentes também só davam aos seus bebês alimentos frescos ou cozidos na hora.


Isso nos mostra como as abordagens tradicionais têm uma preocupação com o trato digestivo do bebê.


Minha Abordagem no começo da Introdução Alimentar

Embora eu tenha mudado um pouco com cada bebê, minha abordagem é uma mistura de BLISS com alguns líquidos de potencial nutritivo alto.


Primeiramente, antes de oferecer qualquer alimento, além de ter todos os sinais de prontidão, meus bebes só começaram a introdução alimentar depois que estavam literalmente avançando na comida, isso para mim é um sinal claro que seu corpo já está se preparando para receber outros alimentos.


Meu primeiro bebê (Henri, 5 anos) começou a comer no início do 7° mês com frutas inteiras e amassadas.

Já com meu segundo bebê (Franz, 1a2m), iniciei com leite de coco concentrado, creme de coco e iogurte de coco feitos por mim. Interessante que nessa fase, aos 8 meses de idade, ele só tinha interesse por alimentos brancos. Mais adiante fomos introduzindo, conforme o interesse dele, caldinho de frutas, e progredindo para frutas amassadas, até chegar nos alimentos picados para desenvolvimento da autonomia e preensão de pinça.


O que me fez repensar sobre oferecer alimentos em pedaços no começo da Introdução Alimentar, realmente foi o processo digestivo:


  1. Os bebês no inicio da introdução alimentar geralmente tem quadros de constipação.

  2. Alguns bebês sofrem com a mudança das fezes líquidas para pastosa e depois sólidas.

  3. Os nutrientes são melhores absorvidos quando estão em pedaços menores, por isso a importância da mastigação.

  4. O leite materno é líquido, possui fibras (sim, fibras solúveis) enzimas e é fácil de digerir.

  5. Quanto mais fácil a digestão, melhor a absorção, mais energia e disposição o organismo do bebê terá para se recuperar de quadros infecciosos.


Melhores primeiros alimentos no começo da Introdução Alimentar


Como o trato digestivo do bebê ainda é pequeno e imaturo, concentre-se nos alimentos que são mais nutritivos, fáceis de digerir, que possuem probióticos e prebióticos para garantir um maior retorno nutricional.

Os alimentos listados abaixo tem importantes macros e micronutrientes que as crianças precisam para crescer e se desenvolver, e cada um desses alimentos pode ser oferecido da maneira que você achar mais confortável ou atraente.


1. COCO

O coco é meu queridinho, ele é repleto de vitaminas, minerais e gordura saturada que o cérebro do bebê ama, têm ação antibacteriana, antiviral e anti-inflamatória. Além disso, possuem uma forte atuação no fígado, estimulando a produção de enzimas que reforçam a imunidade.


bebe sentado no chão e folhas ao fundo, comendo coco verde direto do coco com duas colheres na boca

São tantos os nutrientes no coco, que o leite de coco é considerado o alimento mais parecido com o leite materno (que inclusive é o melhor alimento do mundo).


“Experiências feitas nos Estados Unidos mostraram que o leite de coco contém propriedades nutricionais semelhantes ao leite materno. Certa vez, um bebê recebeu, durante um ano, exclusivamente leite de coco, e o resultado foi que ele permaneceu em perfeito estado de saúde. As mães havaianas, aliás, já antes, costumavam alimentar seus filhos com leite de coco, em substituição ao leite de origem animal”, comenta a nutricionista Letícia Amaral.

Por aqui, nós comemos coco todos os dias nas suas variadas versões: leite de coco seco, leite de coco verde, creme de coco seco, creme de coco verde, iogurte de coco, agua de coco fermentada, coco seco desidratado e óleo de cocô.


No início da introdução alimentar comecei oferecendo leite de coco seco concentrado, apenas bato no liquidificador coco seco picado com a sua própria agua em temperatura ambiente por alguns minutos e coou com coador de tecido voil. A polpa do coco verde batida também pode se transformar em leite, iogurte ou creme de coco.


Nota: Coco seco ralado, picado ou coco seco desidratado não devem ser dados aos bebes puros, pois podem aumentar as chances de engasgos.



2. FRUTAS SUCULENTAS MADURAS

As frutas são uma ótima opção para iniciar porque são docinhas como o leite materno, ajudam no funcionamento intestinal, além de serem ricas em nutrientes e antioxidantes.

bebe com body branco comendo melancia com as maos blw bliss melancia cortada na mesa, ao fundo melancia e vaso com folhas

Eu comecei oferecendo para o Franz caldinho de frutas suculentas como melancia e manga. Sabe quando você corta uma fruta suculenta e fica aquele caldinho no fundo do prato? É disso que estou me referindo. Neste caldinho concentra-se água estruturada, muitos nutrientes, antioxidantes, e também possui fibras de fácil digestão. Oferecia uma pequena quantidade com a colher mesmo. Outra opção é fazer um creme de manga (ou mamão), que consiste em bater uma manga pura (sem adicionar água) no liquidificador até ficar cremosa.


3. ABACATE

O abacate é uma das frutas mais completas, pois oferece uma grande quantidade de nutrientes essenciais para o organismo, bem como o todo-poderoso mineral magnésio , que é tão crucial para a nossa saúde, mas é mais difícil de obter através dos alimentos. O abacate também contém vitaminas do complexo B, incluindo niacina, vitamina E, vitamina K, potássio, B9 (folato) e fibras.

Além disso, no abacate contém um carotenóide de pigmentação amarela, conhecido como luteína. Ela é depositada na retina e, assim, ajuda a filtrar a luz nociva e proteger os olhos dos radicais livres.


bebe loiro de olos azuis com babador azul comendo abacate no metodo blw bliss

Modo de preparo: Ofereça amassado puro ou com banana. Uma opção "salgada" é fazer um creme de abacate no processador com algum ingrediente rico em ferro, como como folhas verdes, flores de brócolis, e adicionar sumo de limão e temperos. Você também pode cortá-lo em fatias compridas se quiser que seu filho se alimente sozinho.


4. UVA

As uvas são ótimas para os bebês porque possuem ação antioxidante e anti-inflamatória, além de promover diversos benefícios à saúde.


Eu gosto de fazer para meus filhos suco de uva concentrado bem no modo tradicional. É claro que eles também comem a uva, cortada de forma segura, porém o esse suco é cheio de resveratrol, assim como no vinho tinto, que está presente na casca da uva roxa, e você sabe, os bebês não tem molares para extair esse composto da casca.


Como eu faço: Amasso bem uvas maduras roxas com as mãos até retirar a maior quantidade de uvas das cascas, depois coo com as mãos com o auxilio de coador de voal. Esse suco vira um suco consistente sendo visível a presença de fibras solúveis.

Lembrando que esse suco não é cozido, não tem adição de água e não possui açúcar.


suco de uva verde feit a mao
Foto: AlphaFoodie.com


5. BANANA

As bananas são uma ótima primeira fonte de carboidratos para bebês, pois contêm amilase, uma enzima necessária para a digestão de carboidratos (como as bananas). As bananas também são uma ótima fonte de vitamina B6, vitamina C, manganês, magnésio e potássio.


Modo de preparo: Sirva bananas bem maduras com manchas marrons – o amido se converteu em um açúcar simples, facilitando a digestão. Descasque e corte ao meio para BLW, ou amasse com um pouco de abacate, leite materno ou leite de coco.


6 maneiras deliciosas de oferecer banana ao bebe, banana pure, blw, em pedaços, banana com casca, bliss, panqueca de banana


6. PROTEÍNA ANIMAL


Aqui incluem carne vermelha, carne de órgãos, carne de peixe, gema de ovo e iogurte natural (espere até o primeiro aniversário para oferecer leite). Dê preferencia para carne de animais que consome capim, peixes que não são de cativeiros e ovos de galinhas soltas, que são mais ricos em minerais e vitaminas.

Se for oferecer carne ao bebê, certifique-se de estarem bem cozidas e bem macias.

bebe no cadeirão comendo alimentos em pedaços no metodo blw bliss pegando cenoura com a mão na bandeja tem brocolis, fango e cenoura cozida

Esses são os alimentos nutritivos mais fáceis de digerir para o bebê bem no comecinho da introdução alimentar, e que podem continuar sendo ofertados após a introdução de novos alimentos.



Alimentos a evitar no começo da Introdução Alimentar


Embora o paladar do bebê possa estar se expandindo rapidamente, o bebê não deve de tudo. Aqui estão alguns alimentos que os pais devem esperar os bebês crescerem para oferecer.



1. Alimentos ricos em nitrato

Raízes e vegetais folhosos - pense em espinafre, aipo, rabanete, beterraba, nabo e couve - são todos muito ricos em nitratos. Os nitratos podem se transformar em nitritos, que então se transformam em nitrosaminas (um conhecido carcinógeno) no estômago.

Quando apresentar? Espere até 6-8 meses para dar vegetais de raiz para bebês; espere um ano para dar folhas verdes para bebês. Também é útil servir esses alimentos com alimentos ricos em vitamina C para evitar essa conversão de nitrato em nitrito e em nitrosamina.




2. Alimentos ácidos

Tomates e frutas cítricas podem irritar o trato digestivo em bebês.

Quando apresentar? Espere até pelo menos 9 meses.


3. Adoçantes

Não tenha pressa em oferecer doces ao seu filho, quanto mais tempo adiar a introdução de açucares, melhor será a resposta imunológica dele.

Quando apresentar? Açúcares naturais - pense em mel, melado, néctar de coco - podem ser introduzidos SOMENTE após o segundo ano do bebê em doses muito pequenas. (O mel cru pode ser muito perigoso se oferecido ao bebê antes de um ano de idade.) Você também pode adoçar usando frutas como tâmaras, banana, mamão, caqui, purê de maçã, etc..



E os Grãos?

Os grãos integrais podem complementar uma dieta saudável para crianças pequenas, mas não se apresse em servi-los como fonte primária de carboidratos. Os recém-nascidos quase não têm amilase pancreática, uma importante enzima que digere carboidratos complexos. (Eles produzem bastante amilase salivar aos 6 meses, que é projetada para digerir formas simples de carboidratos encontrados em frutas, vegetais e leite materno.)


Então os bebês não conseguem digerir grãos?

Embora o pâncreas do bebê possa não digerir carboidratos complexos muito bem, estudos mostram que muito pouco amido não digerido é d


eixado em seu cocô. Isso pode significar que as bactérias do bem no intestino pegam um tipo de amido que não é completamente digerido e usam isso como "comida", ajudando a encher o intestino grosso com bactérias saudáveis. A gente já conhece as vantagens de ter um time variado e forte de bactérias no intestino, o que ajuda a reduzir o risco de várias doenças chatas. Por isso, adicionar grãos que ficaram de molho e que foram cozidos direitinho à dieta dos bebês pode ser uma opção. Quando apresentar? Após o primeiro mês de introdução alimentar, você pode começar a dar grãos, com uma ou duas colheres de sopa de grãos cozidos por dia. E após um período de 2-3 meses, dá para aumentar a dose, sempre equilibrando com coisas boas como gorduras saudáveis, proteínas, frutas e legumes. Para preparar: Coloca milho, quinoa, aveia ou cevada de molho na água filtrada durante 12h e adicionar uma pitada de vinagre de maçã ou sumo de limão nessa mistura para ajudar a pré-digerir os grãos. Cozinhe até que eles fiquem bem macios. E depois que esfriar, coloca um pouquinho de leite materno para dar um reforço na quantidade de uma enzima chamada amilase (o leite materno é cheio dessa enzima que ajuda a "comer" o amido).



Existem outros alimentos a serem evitados no começo da Introdução Alimentar?

Outros alimentos a serem evitados nessa fase são devido ao risco de engasgo. Como os bebês estão aprendendo a mastigar, é importante omitir certos tipos de alimentos até que eles aprimorem essa habilidade.


Itens arredondados (como uvas, mirtilos e tomates cereja) devem ser cortados ao meio ou esmagados.

Alimentos duros (como nozes e pipoca) devem ser completamente evitados até os quatro anos de idade, conforme orientado pela Sociedade Brasleia de Pediatria.

Alimentos pegajosos (como pasta de amendoim e outras pastas pegajosas) devem ser servidos de maneira a minimizar o risco de engasgo (espalhe uma fina camada em torradas ou misture com iogurte ou smoothie).


Todos os alimentos devem ter uma textura suficientemente macia para serem esmagados com a língua no céu da boca. Claro, esta lista não é exaustiva. Se tiver dúvidas sobre a adequação de um alimento específico, é sempre recomendável conversar com o médico.


Um estudo foi desenvolvido para estabelecer diretrizes seguras para o desmame guiado pelo bebê BLW e BLISS. Aqui estão as recomendações para os pais desse estudo:


Diretrizes de segurança do estudo BLISS:

1. Teste os alimentos antes de serem oferecidos para garantir que são macios o suficiente para serem esmagados com a língua no céu da boca (ou são grandes e fibrosos o suficiente para que pequenos pedaços não se quebrem quando chupados e mastigados, por exemplo, tiras de carne), especialmente nos primeiros meses.


2. Evite oferecer alimentos que formem migalhas na boca.


3. Certifique-se de que os alimentos oferecidos sejam pelo menos tão compridos quanto o punho da criança, em pelo menos um dos lados da comida.


4. Certifique-se de que o bebê esteja sempre sentado ereto quando estiver comendo, nunca se inclinando para trás.


5. Nunca deixe seu bebê sozinho com a comida; sempre tenha um adulto com a criança quando ela estiver comendo.


6. Nunca deixe ninguém, exceto seu bebê, colocar comida em sua boca; a criança deve comer em seu próprio ritmo e sob seu controle”.



Quando introduzir alérgenos na Alimentação do bebê?


Comece a introduzir alimentos potencialmente alergênicos já na gestação. Novos estudos sobre prevenção de alergia alimentar mostram que você pode reduzir o risco de seu filho desenvolver uma alergia alimentar em até 80% por meio da introdução precoce e contínua de alérgenos. Uma pesquisa mostra que as mães grávidas que comem nozes são menos propensas a ter bebês com alergias a nozes. Há também evidências crescentes de que quando os bebês são apresentados a alérgenos comuns antes de seu primeiro aniversário, eles têm menos probabilidade de desenvolver alergias.

Se você amamenta seu bebê, introduza oleaginosas, ovos e laticínios e na sua alimentação e observe se o organismo dele apresenta alguma reação (cólica, constipação, aumento de regurgitação, fezes endurecidas, alergias de pele, assaduras...)



graos oleaginasas e cerais dispostos em colher de madeira e sacos de algodao cru, nozes, cha, lentilha, ervilhas, amendoas, feijao vermelhos, avelas, macadamia, arroz

A chave para a prevenção não depende apenas do tempo, mas também do que você está alimentando o bebê e com que frequência. Comece com ovo, oleaginosas e laticínios como queijo ou iogurte (não dê leite de vaca para beber até os 12 meses de idade), pois representam mais de 80% das alergias alimentares mais comuns na infância. Se você não tem certeza de como começar, confira empresas como Ready Set Food, que têm programas cientificamente comprovados para ajudar os pais a introduzir alérgenos conhecidos de maneira suave e lenta.



Uma reflexão sobre o começo da Introdução Alimentar

Os bebês prosperam comendo papinhas, purês ou alimentos em pedaços do reino vegetal e animal. Ao nutrir nossos filhos com alimentos repletos de nutrientes, estamos ajudando a desenvolver mentes brilhantes, bom humor, força física, um sistema imunológico potente e microbiomas protetores. O início é fundamental, e oferecer esses primeiros alimentos para nossos bebês é uma maneira incrível de pavimentar um caminho saudável para toda a vida.


Como os bebês têm muitas necessidades nutricionais, é importante oferecer uma variedade de alimentos. No entanto, lembre-se de introduzir um novo alimento de cada vez e aguardar de 3 a 5 dias antes de introduzir outro. Isso nos dá a oportunidade de observar quaisquer reações adversas, como desconfortos abdominais ou erupções cutâneas, e identificar a causa.


Dado que os bebês têm estômagos pequenos, concentre-se nos alimentos que oferecem o maior valor nutricional. Cada um dos alimentos listados acima é uma fonte valiosa de macro e micronutrientes essenciais para o crescimento e desenvolvimento. A forma de apresentação fica à sua escolha.


Agora, é interessante notar que, em muitas partes do mundo, os amidos e alimentos doces não são priorizados como as primeiras escolhas. Ao considerar as enzimas no sistema digestivo de um bebê nos estágios iniciais, os carboidratos simples, as proteínas e gorduras se destacam como opções lógicas e seguras.



A conclusão?

Ofereça ao seu bebezinho alimentos com os nutrientes que ele realmente necessita. Esses nutrientes são assimilados com mais eficácia, são gentis ao estômago e, além disso, proporcionam um sabor irresistível.





Compartilhe suas histórias e dicas sobre a Introdução Alimentar nos comentários abaixo! Vamos criar uma comunidade de pais e mães dedicados a nutrir nossos filhos de maneira saudável e feliz.


bebe loiro de olhos azuis feliz com os braços para cima com sua mãe oferecendo alimento da tigela branca e verde com uma colher


Referências

https://www.livescience.com/19435-pre-chew-baby-food.html

http://wicworks.fns.usda.gov/sites/default/files/media/document/infant-feeding-guide.pdf

https://www.aafp.org/pubs/afp/issues/1998/0501/p2266.html

https://www.iadobebe.com.br/metodo-bliss-introducao-alimentar/

https://www.tasaudavel.com.br/alimentacao/muito-rico-leite-de-coco-e-tido-como-o-mais-proximo-do-materno-como-incluir-na-dieta

https://www.oceandrop.com.br/blog/resveratrol-para-que-serve

https://www.researchgate.net/publication/257296090_Weaned_Upon_A_Time_Studies_of_the_infant_diet_in_prehistoy

https://www.healthychildren.org/English/health-issues/injuries-emergencies/Pages/Choking-Prevention.aspx

https://www.nature.com/articles/pr197289

https://www.westonaprice.org/modern-diseases/how-to-restore-digestive-health/

https://www.westonaprice.org/childrens-health/nourishing-a-growing-baby/

https://www.westonaprice.org/health-topics/the-liver-files/

https://ndb.nal.usda.gov/ndb/nutrients/index

https://bmjopen.bmj.com/content/6/5/e010665.full

https://www.usatoday.com/story/news/nation/2013/12/23/peanut-allergy-pregnancy/4144583/

https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC5056823/

Comentarios


bottom of page